Existe o termo “falar português corretamente?”

falar portugues corretamente

A vivência em um país com uma taxa de violência tão alta é difícil, entretanto lidar com a intolerância à linguagem em um lugar onde as misturas de raças e etnias estão presentes em nosso sangue, é desumano!

A língua portuguesa está presente não somente aqui no Brasil, mas também na África, Portugal e também no Oriente. Aprendemos desde pequenos a língua falada e aos poucos vamos reconhecendo a escrita, mas a maneira de pronunciarmos muda de acordo com o local em que vivemos. Esse famoso “sotaque” gera algumas discursões, afinal será que existe um português correto?

“Não há língua portuguesa, existem línguas em português” afirma o escritor José Saramago no documentário Línguas, vida em português. A linguagem falada de cada estado não carrega somente uma simples frase, mas sim histórias. Por isso o escritor diz existir línguas em português, não é somente a linguagem mas sim o que ela trás consigo.

Uma verdadeira viagem na cultura de cada estado, é assim que a linguagem deve ser vista. A demais existe um preconceito latente em algumas capitais a respeito da maneira como pronunciamos o nosso linguajar, tudo isso por causa dos padrões que circulam, mas será que devemos corrigir ou continuar a propagar esse tal “padrão”?

A nossa resposta é não, devemos apenas respeitar a maneira de cada um falar ou escrever. Embarcar em uma viagem de saberes, crenças e costumes, onde o destino não é lugares e sim pessoas, o melhor é deixar o preconceito de lado e se permitir ser um viajante.

“A vida não me chegava pelos jornais nem pelos livros,
vinha da boca do povo na língua errada do povo” um poema de Manuel Bandeira nos faz pensar nessa tal língua errada do povo. O preconceito linguístico existe e dizer que alguém fala errado só reforça tudo isto. Ouvimos pessoas falarem aos quatros cantos que não gostam da língua portuguesa ou se perguntando “Porque tenho que estudar, se eu já falo?”, isso tudo por causa da ditadura gramatical. Vale ressaltar que a gramática coloquial é tão importante quanto o dialeto, queremos apenas que ambas sejam reconhecidas como modalidades de idiomas.

Não existe certo e errado na oralidade. A maneira como usamos a fala humaniza, traz emoções à tona e caracteriza, por isso a importância do respeito às diferentes línguas em um único idioma. No poema costuma-se escrever da maneira que falamos, pois torna o texto mais expressivo, já que usar a gramática normativa deixa um tanto “sem graça”.

Já dizia Renato Russo em uma de suas músicas “eu canto em português errado”, porém carrego minha história no que digo. O respeito ao linguajar é um grito de apoio a história de quem fala, se tornou uma questão social e a maneira como tudo acontece, só depende você!